domingo, 10 de dezembro de 2017

Verbo "pôr" e sua versão popular "ponhar" - conjugação dos dois

"Para evitar problema com esses verbos, é melhor não usá-los.  Use somente colocar", essa foi a solução encontrada por uma mãe oeste-paranaense que ensinava o filho a não usar os verbos pôr e botar. Por quê? "Por que quem bota é galinha", explicou a mãe sobre o segundo verbo. Quanto ao primeiro, o verbo pôr,  é complicado. Segundo a mãe toda a vez que ela abria a boca e pronunciava o bendito verbo, era repreendida por pessoas que diziam que o verbo pôr é errado.

Exemplos de erros: posso pôr aqui? (pôr é também coisa de galinha) Mãe ponho a cadeirinha aqui? A mãe explica que é melhor dizer "colocar" a cadeirinha. "O patrão disse que ponhar é errado", avisa.
 


Na realidade, o problema da galinha tanto botar como pôr ovo não torna o verbo exclusividade dela. O verbo que aparece registrado e sacralizado para uso oficial, de acordo com a norma culta,  é o verbo pôr que significa colocar e botar. O problema é que existe um quarto verbo que nasceu do "pôr" e é chamado "ponhar". Ele é simplesmente considerado errado e as pessoas que o usam são consideradas ignorantes e incultas. 

Não demora muito para que isso descambe para o lado social forçando a discriminação de quem usa o verbo desse jeito incluindo tirando o usuário dele  da lista de empregos (segundo o cargo), empregabilidade e das oportunidades. 
Mas pensando bem, o verbo pôr tem uma conjugação complexa. E é possível que se fizermos um concurso que premie com R$ 100 a quem consiga conjugá-lo completo, os R$ 100 termine demorando para mudar de mãos. O site Brasil Escola chega a chamá-lo de um dos “mistérios linguísticos” do português. Confira os tempos mais representativos desse verbo misterioso e interessante "PÔR":    



Indicativo: Pôr

Presente          Pretérito perfeito         Pretérito imperfeito
Eu ponho            Eu pus                          eu punha             
Tu     pões          Tu puseste                     tu punhas
Ele/ela põe         Ele/ela pôs                    ele/ela punha
Nós pomos         Nós pusemos                 nós púnhamos
Vós   pondes       Vós pusestes                 vós púnheis
Eles/elas põem   Eles/elas puseram          eles /elas punham

A complexidade da conjugação do "pôr" levou à criação da versão popular  "ponhar" que parece usar como raiz a primeira pessoa do presente: Ponho.  É o verbo mais popular do Paraná e não é só do Paraná.

Abaixo a conjugação resumida  da forma "dialética"* do verbo pôr

Indicativo: Ponhar (Nome do verbo)

Presente               
Eu Ponho
Nós Ponhamos

Pretérito prefeito
Eu ponhei 
Ponhou
Ponhamos
Ponhou
Ponharam

Pretérito imperfeito
Eu Ponhava
Tu ponhava 
Ele Ponhava
Nós punhemos
Eles ponhavam

Gerúndio
Ponhando

Particípio
Ponhado 

* Pessoalmente, vejo o verbo "ponhar" como parte de um dialeto. Nada técnico ou científico. É uma maneira de falar. Se déssemos a ele um nome como "vicentino"** (por exemplo) poderíamos até oficializá-lo. Como na Itália onde há o genovês, calabrês, ticinês (Suíça)  em vez de segregar, discriminar quem fala a modalidade. Um italiano pode orgulhar-se de dizer que sabe 10 idiomas e cinco dialetos. Digo vicentino por que essa é uma maneira de falar presente no que foi a antiga Capitania de São Vicente. O que inclui São Paulo na lista onde o ponhar é parte integral da fala. Lembra da música do Arnesto de Adoniran Barbosa? 

"Isso não se faz, Arnesto, nós não se importa, mas você devia ter ponhado um recado na porta"

Confira ainda:
Conjugação verbo pôr
Conjugação verbo ponhar
"Pôr" também é complexo em espanhol  

Nenhum comentário: