terça-feira, 4 de março de 2008

Revista Idiomas e Comunicação



Eu estava em Buenos Aires, curtindo os meus últimos momentos na redondeza da Rodoviária Internacional de Retiro, quando dei de cara com uma revista em uma banca de jornal. "Idiomas y Comunicación", idealizada e editada pelo jornalista Jaime Marín. Gostei da revista porque ela parece ser algo que eu gostaria de estar fazendo que é trabalhar em uam área de comunicação que se interesse pelos idiomas. Nas faculdades de jornalismo, a questão do idioma é "monocultural", "monolíngüe". Me lembro que nas aulas de teorias da comunicação, tanto alunos cmo professores, pulavam os nomes de autores, escritores e conceitos que não estivessem em português. Já pensou a palavra "führer" porque não se sabe pronunciar. Uma tragédia!

Tenho sentido que no Brasil quando se fala em idioma, as pessoas querem saber se você é lingüista, confundindo lingüista com poliglota. A idéia do jornalista argentino me dá uma saudável inveja. A edição que tenho em mãos, é a de janeiro /fevereiro de 2005. Na capa uma reportagem sobre o III Congreso de Identidad Lingüística realizado em Rosario. Dentro, entre muitas outras coisas, gostei de um estudo da Dra. Alicia Maria Zorrilla com o título "La lengua como espectáculo" (A língua como espetáculo). Tratava do uso da lingua na imprensa esportiva e policial. Um exemplo do texto espetáculo policial:

<< Tres hombres armados asaltaron una fiambrería (fábrica de frios)en Ramos Mejía pero fueron detenidos por la policia luego de protagonizar una espectacular persecución seguida de tiroteo. [...] Un patrullero [...] que recorria la zona observó la acción de los cacos (ladrões, gíria) y comenzó a perseguirlos bajo una lluvia de balas...>>.

A autora da palestra apresentada III Congresso de Rosário, citou um pensador espanhol (Jesús Castañón Rodríguez) que falou de uma "perda da autoridade comunicativa a favor do iconográfico" e de um neo-conceito de "captar a atenção do leitor para ver e ler, em vez de ler e imaginar".

É só um exemplo do trabalho da publicação que mistura comunicação e línguas. A revista é financiada por uma série de escolas, institutos e entidades de jornalismo, linguas, comunicação para a formação de jornalistas, tradutores, revisor de textos e uma série de outros campos. Aqui no Brasil, precisamos de tudo isso incluive espaços para divulgar as nossas pesquisas sobre linguas, imprensa e espetáculo. Aqui também vemos assaltantes empreendendo fuga, acelerando em rua sem saída e, no final, entrando em óbito. A foto que aparece acima não foi tirada por mim. Eu a encontrei no blog Rancho las Voces dos blogueiros Ruben e Jaime Valenzuela que vivem em Ciudad Juarez, México, na fronteira com os EUA. Sugiro uma visita ao blog Visor Fronterizo dos mesmos autores com fotos sobre aquela fronteira.

Nenhum comentário: